Edições Vercial

  • Portugais Poesias

    Mario De Sa-Carneiro

    Mário de Sá-Carneiro nasceu em Lisboa, em 19 de Maio de 1890 e suicidou-se em Paris, em 26 de Abril de 1916. A presente obra contém: Dispersão, Indícios de Oiro e o poema Manucure.


    Não sou amigo de ninguém. P'ra o ser
    Forçoso me era antes possuir
    Quem eu estimasse - ou homem ou mulher,
    E eu não logro nunca possuir!...

empty