Saga Egmont

  • Moby Dick Nouv.

    Para sair da monotonia, o professor rural Ismael decide descobrir os mistérios das baleias. Quando ele encontra o arpoador Queequeg, eles partem juntos para a ilha de Nantucket em busca de trabalho no mercado de caça às baleias. Lá, eles embarcam com tripulantes de diversas nacionalidades no baleeiro Pequod para uma viagem de três anos aos mares do sul. Mal sabe ele que o sombrio capitão Ahab está obcecado por encontrar a fera responsável por seus ferimentos e que nenhum arpoador jamais conseguiu abater: a temível Moby Dick.

    Essa rota cheia de perigos e incertezas foi adaptada ao cinema múltiplas vezes, como no filme homônimo produzido em 2010, estrelando Patrick Stewart, e no filme "No Coração do Mar" (2015) com Chris Hemsworth.

    Este audiolivro é narrado em português brasileiro.



    Herman Melville (1819-1891) foi um escritor, poeta e ensaísta estadunidense. Após a morte de seu pai, em 1832, teve de ajudar a manter a família (então com oito crianças). Assim, trabalhou como bancário, professor e fazendeiro. Em 1839, embarcou como ajudante no navio mercante St. Lawrence, com destino a Liverpool. Em 1841 esteve a bordo do baleeiro Acushnet que percorreu quase todo o Pacífico e passou um período com a tribo Typee na Polinésia. Suas aventuras marítimas continuaram ainda em outras viagens em baleeiros e arpoadores que inspiraram suas obras literárias.

    A história de sua obra mais popular, "Moby-Dick", faz parte da cultura popular ocidental e foi fonte de inspiração para adaptações em diversas mídias, destacando-se o clássico filme homônimo de John Huston (1956), estrelando Gregory Peck, e as histórias em quadrinhos "Moby Dick" (2017) de Christophe Chabouté.

  • Kim

    Rudyard Kipling

    Kim é um órfão de origem inglesa que aprendeu a viver de acordo com os costumes da Índia. Quando seu caminho cruza o de um lama tibetano, ele o segue e o guia em sua busca por um riacho místico. Durante essa peregrinação, Kim cruzará também com o exército inglês que o treina e o contrata como espião durante o conflito do Grande Jogo. Repleto de imagens dos costumes e da natureza indiana, esse romance de Kipling é também uma celebração da amizade.

    Esse livro foi adaptado nos filmes homônimos produzidos pela em MGM 1950 e pela London Pictures em 1984, estrelando Peter O'Toole.

    Este audiolivro é narrado em português brasileiro.



    Nascido em Bombaim, Rudyard Kipling (1865-1936) foi enviado para um internato na Inglaterra aos 6 anos de idade. Sentindo-se muito infeliz nesse país, voltou para a Índia em 1882, onde começou a escrever. Em 1907, ele recebe o Prêmio Nobel de Literatura, tornando-se o primeiro autor em língua inglesa a recebê-lo. Kipling produziu vários relatos da vida inglesa na Índia, mas foi com seu romance "The Jungle Book" que ele ganhou notoriedade. Esta obra foi adaptada ao cinema várias vezes, destacando-se o filme de animação dos estúdios da Disney "Mogli - O Menino Lobo" em 1967 e seu remake em 2016.

  • Uma princesa adormecida na floresta, um gato sempre pronto para a aventura, as fadas mágicas gentis e malvadas, um pequeno irmão com um grande coração, o beijo de amor de um príncipe encantado ... Eis as perigosas aventuras e as histórias amor que continuam perpetuando os sonhos de crianças e adultos do mundo inteiro.

    Deixe-se levar pelo mundo fantástico de Perrault, onde nada é impossível se você tiver coragem e imaginação. Esses contos mágicos foram adaptados inúmeras vezes pelos estúdios Disney em seus ilustres filmes de animação, assim como os filmes "Malévola" (2014), estrelando Angelina Jolie, e "Cinderela" (2015), com Lily James.



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • Para evitar um casamento infeliz, uma linda princesa foge de seu reino. Aconselhada por sua fada madrinha, ela veste a pele suja de um asno mágico para se esconder de todos, mas é sempre maltratada por onde passa. Um dia, um belo príncipe cruza o seu caminho... Será que finalmente essa princesa encontrará a felicidade?

    Esse conto clássico de Perrault foi adaptado no filme homônimo de Jacques Remy (1970), com a atuação de Catherine Deneuve.



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • A menina de capinha vermelha deve entregar um cesto para sua avó que mora do outro lado da floresta. Tudo parece estar bem até um lobo cruzar o seu caminho... Ela será esperta o suficiente para despistar esse lobo?

    Conto clássico da literatura infantil, essa história foi fonte de inspiração para diversos filmes como "Deu a Louca na Chapeuzinho" (2005), "A Garota da Capa Vermelha" (2011) e "Caminhos da Floresta" (2014) com Meryl Streep e Johnny Depp.



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • Enfeitiçada por uma fada maligna no dia do seu primeiro aniversário, uma bela princesa e todo o seu reinado cai num sono profundo... Até o dia em que um príncipe corajoso consegue encontrar o castelo adormecido!

    Indicado ao Oscar na categoria de melhor trilha sonora em 1959, o filme homônimo dos estúdios Disney é um clássico dos filmes de animação. A história de sua bruxa maligna possui dois filmes próprios: "Malévola" (2014) e "Malévola: Dona do Mal" (2019), ambos estrelando Angelina Jolie e Elle Fanning.



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • Barba Azul era um conde muito feio que, curiosamente, já havia se casado diversas vezes. No entanto, ninguém sabia aonde iam parar suas ex-esposas. Quando Barba Azul decidiu por se casar mais uma vez, a família na qual estava de olho ficou aterrorizada. Mas a caçula e Barba Azul acaram se casando. Certo dia, o conde foi viajar e deixou todas as chaves com sua esposa, inclusive a chave que dava para um quarto o qual ela estava proibida de entrar. Estaria ali a resposta para as esposas do passado de Barba Azul? A história inspirou vários famosos escritores, como Kurt Vonnegut, Stephen King, Margaret Atwood e Neil Gailman.



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • Sem dinheiro algum, os pais de uma família muito pobre decidem abandonar seus filhos. Pequeno polegar, o menor das sete crianças escuta a conversa dos pais e elabora um plano. Será que ele conseguirá salvar seus irmãos dos perigos da floresta?

    As histórias desse pequeno aventureiro foram adaptadas no filme "O Pequeno Polegar" (1958).



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • O príncipe Riquet nasceu feio, mas muito inteligente. Em outro reino, uma princesa nasceu bela, mas um pouco estúpida. Ao nascerem, ambos receberam o dom de partilhar a sua maior qualidade com a pessoa que venham a amar. Um dia, os dois se cruzam num bosque... Será que eles conseguirão enxergar as virtudes além das aparências?



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • Cinderela vive com sua madrasta e duas irmãs detestáveis. Apesar de ter bom coração, ela é atormentada e obrigada a fazer todos os trabalhos domésticos. Um dia, o rei anuncia um baile para encontrar uma noiva para seu filho. Cinderela quer ir, mas sua madrasta a proíbe! Triste e magoada, ela é consolada por sua fada madrinha que tem uma ideia brilhante para fazê-la ir ao baile...

    Além do clássico de animação da Disney produzido em 1950, esse conto de Perrault foi adaptado em inúmeros outros filmes, como "Cinderela" (2015) com Lily James e "A Nova Cinderela" (2004) com Hilary Duff.



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • Uma viúva tinha duas filhas: a mais velha era malvada e muito parecida consigo; já a mais nova era bondosa e semelhante ao falecido pai. Sempre maltratada pela mãe e sua cadete, a caçula encontra uma velha senhora perto de um poço. Mal sabe ela que essa senhora é na verdade uma fada disfarçada!

    Com este conto, Perrault nos mostra que a gentileza é sempre bem recompensada.



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • O caçula da família ganha um gato de presente. Mas esse não é um animal qualquer! Após receber um par de botas e um saco, o gato se torna o companheiro mais sagaz de todo o reinado.

    Adaptado pelos estúdios de animação DreamWorks, esse personagem icônico acompanha as aventuras de um ogro nas franquias dos filmes "Shrek" (2001) e ganha um filme próprio em 2011 com "Gato de Botas".



    Charles Perrault (1628 - 1703) foi um escritor e poeta francês do século XVII considerado hoje como o "Pai da Literatura Infantil" devido aos seus inúmeros contos de fadas. Ao publicar as histórias que ouvia de sua mãe e nos salões parisienses, ele rompeu os limites literários da época e alcançou públicos de todos os cantos do planeta. Quem não conhece os seus contos mais famosos, como "Chapeuzinho Vermelho", "O Gato de Botas" e "O Pequeno Polegar"? Essas histórias fazem parte do alicerce cultural ocidental e continuam a ser fonte de inspiração para inúmeras adaptações cinematográficas, como os filmes "A Bela Adormecida" (1959) e "Cinderela" (1950) dos estúdios de animação Walt Disney.

  • Pinóquio

    Carlo Collodi

    Gepeto é um marceneiro muito talentoso. Um dia ele faz o seu próprio filho de madeira: Pinóquio. Seu filho vive muitas aventuras e desventuras no Teatro de Marionetes, no País das Brincadeiras, no Circo e até dentro de um tubarão! Ele é muito traquina e sempre se mete em confusão, mas tem bom coração. Será que um dia ele vai conseguir realizar seu sonho de se tornar um garoto de verdade?

    Além da animação clássica da Disney de 1940, o boneco mais famoso do mundo faz aparições em outras obras infanto-juvenis, como no filme "Shrek" (2001) e nos livros do "Sítio do Picapau Amarelo" (1929).



    Carlo Collodi, pseudônimo de Carlo Lorenzini, (1826-1890) foi um jornalista e escritor italiano. Antes de publicar histórias infantis, ele escrevia artigos para jornais em toda a Itália. Sua obra-prima "As Aventuras de Pinóquio" é considerada um clássico da literatura infantil mundial.

    As aventuras do seu boneco falante foram imortalizadas no clássico de animação dos estúdios Disney "Pinóquio" (1940). Esse romance também é utilizado como fonte de inspiração por Spielberg no filme "A.I. - Inteligência Artificial" (2001).

  • Em uma noite gelada, surge numa cidade isolada na Inglaterra um desconhecido à procura de abrigo. Com o rosto coberto de bandagens, enluvado e de óculos escuros, esse homem distante e misterioso não quer ser incomodado... Mas esse homem esconde um estranho segredo: após fazer experiências, ele obteve o poder da invisibilidade, mas não consegue voltar ao normal! Ele será capaz de conviver entre os outros humanos sem ser descoberto?

    Wells analisa a ambição do homem, a coabitação em sociedade e os limites da ciência nessa obra incontornável. A forma como esse autor aborda o tema da invisibilidade foi fonte de inspiração para inúmeras adaptações como o filme homônimo dirigido por Leigh Whannell em 2020, estrelando Elisabeth Moss, e o filme brasileiro "A garota invisível" (2009), com Selton Mello e Luana Piovani.



    Herbert George Wells (1866-1946), conhecido como H. G. Wells, foi um escritor britânico considerado como um dos precursores dos romances de ficção científica. Através de suas histórias, ele inventou diversos temas que fazem parte da cultura popular atual, ao mesmo tempo em que questiona a humanidade e a forma como se organiza a sociedade.

    "A Máquina do Tempo", "O Homem Invisível" e "A Guerra dos Mundos" estão entre suas obras mais conhecidas. Seus romances foram adaptados inúmeras vezes para o cinema, destacando-se o filme "Guerra dos Mundos" (2005) do ilustre Steven Spielberg, estrelando Tom Cruise e Dakota Fanning.

  • O que há dentro do planeta Terra? Para salvar David Innes das garras de seus inimigos, o rei da selva entra na crosta da Terra! Durante essa jornada, ele descobre os mistérios de Pellucidar, um mundo estranho habitado por criaturas selvagens pré-históricas provindas do início dos tempos.

    Além da ilustre animação da Disney "Tarzan" (1999), as aventuras de Tarzan foram adaptadas no filme "A Lenda de Tarzan" (2016) produzido por David Yates e distribuído pela Warner Bros. A jornada desse aventureiro também foi adaptada para outros tipos de mídia como as histórias em quadrinhos da Marvel e o jogo eletrônico da Eurocom.



    Edgar Rice Burroughs (1875-1950) foi um escritor norte-americano conhecido por suas obras de aventura ficção científica e fantasia. Antes de se tornar escritor, ele foi jornalista. Ao morrer, em 1950, Burroughs foi enterrado numa pequena cidade do estado da Califórnia chamada Tarzana.

    As aventuras de seu herói Tarzan são conhecidas mundialmente e foram adaptadas inúmeras vezes para o cinema e televisão, destacando-se a versão clássica "Tarzan, o Homem Macaco" (1932), estrelando Johnny Weissmuller. Impossível esquecer o filme de animação da Disney "Tarzan" (1999) que mais uma vez imortalizou o personagem.

  • As aventuras de Huck Nouv.

    Filho de um pai alcoólatra e violento, Huck Finn logo se encontra sozinho. Quando foi acolhido por uma senhora idosa, Huck se torna gradualmente mais civilizado. Mas no dia em que seu pai reaparece e o tranca em uma cabana, Huck foge com Jim, um escravo. A viagem deles pelo Mississippi retrata a sociedade americana da época e rende muitas aventuras! Considerado um clássico da literatura americana, essa história foi fonte de inspiração para o filme "As aventuras de Huck Finn" produzido pela Disney em 1993.

    Este audiolivro é narrado em português brasileiro.



    Mark Twain é o pseudônimo de Samuel Langhorne Clemens (1835-1910), escritor, ensaísta e humorista americano. Ele se tornou um impressor após a morte de seu pai e trabalhou como jornalista mais tarde, o que o levou a viajar pela Europa como correspondente de imprensa. Sua infância no Missouri influenciou bastante seus trabalhos, considerados clássicos da literatura infantil. Suas histórias foram adaptadas para várias mídias, incluindo o filme "As aventuras de Huck Finn" (1993), com Elijah Wood, e a animação da Disney "O Príncipe e o Mendigo" (1990).

  • À deriva, sem esperanças de sobreviver em alto mar, Prendick é resgatado por um navio e deixado numa pequena ilha. Lá, ele encontra seres de aparência grotesca, mescla de animais e homens... Não tarda a descobrir que são produtos das experiências do Dr. Moreau, um cirurgião exilado que realiza experimentos macabros em animais! Será que ele conseguirá escapar das garras desse doutor insano?

    Em mais um de seus clássicos, Wells analisa a humanidade através de uma parábola da teoria da evolução. Essa história foi adaptada diversas vezes ao cinema, destacando-se o filme homônimo dirigido por John Frankenheimer em 1996, estrelando Marlon Brando e Val Kilmer, e o filme clássico "A Ilha de Almas Selvagens" (1932).



    Herbert George Wells (1866-1946), conhecido como H. G. Wells, foi um escritor britânico considerado como um dos precursores dos romances de ficção científica. Através de suas histórias, ele inventou diversos temas que fazem parte da cultura popular atual, ao mesmo tempo em que questiona a humanidade e a forma como se organiza a sociedade.

    "A Máquina do Tempo", "O Homem Invisível" e "A Guerra dos Mundos" estão entre suas obras mais conhecidas. Seus romances foram adaptados inúmeras vezes para o cinema, destacando-se o filme "Guerra dos Mundos" (2005) do ilustre Steven Spielberg, estrelando Tom Cruise e Dakota Fanning.

  • Após a morte de seus pais, Tom vive com sua tia perto do Mississippi. Garoto inteligente e sapeca, ele está sempre envolvido em diversas travessuras com seus camaradas. Venha batalhar, soltar pipa e correr com Tom e seus amigos nesse clássico infantil!

    Personagem icônico da literatura americana, as aventuras de Tom foram adaptadas inúmeras vezes, como no filme "Tom Sawyer & Huckleberry Finn" (2014) e na série de animação "As aventuras de Tom Sawyer" (1980).



    Mark Twain é o pseudônimo de Samuel Langhorne Clemens (1835-1910), escritor, ensaísta e humorista americano. Ele se tornou um impressor após a morte de seu pai e trabalhou como jornalista mais tarde, o que o levou a viajar pela Europa como correspondente de imprensa. Sua infância no Missouri influenciou bastante seus trabalhos, considerados clássicos da literatura infantil. Suas histórias foram adaptadas para várias mídias, incluindo o filme "As aventuras de Huck Finn" (1993), com Elijah Wood, e a animação da Disney "O Príncipe e o Mendigo" (1990).

  • Gilliatt vive à margem da sociedade na ilha de Guernesey. Um dia ele se apaixona por Deruchette, sobrinha do armador Lethierry. Quando o navio desse armador naufraga perto de um rochedo perigoso, sua sobrinha promete se casar com o homem capaz de recuperar o motor da embarcação. Pensando em sua bem-amada, o jovem se oferece e acaba encontrando muitas aventuras, entre elas um polvo gigante escondido numa caverna!

    Nesse clássico da literatura francesa, Hugo retrata os costumes da ilha em que viveu em exílio auto-infligido por 15 anos. Esse romance foi adaptado no filme clássico "Sea Devils" (1953), estrelando Rock Hudson.



    Victor Hugo (1802-1885) foi um dos mais importantes escritores franceses do período romântico. Terceiro filho de um major que, mais tarde, se tornaria um general do exército napoleônico, Victor Hugo passou a sua infância entre Paris, Nápoles e Madrid, consoante as viagens do pai. Em 1821, Hugo publicou seu livro de poesias, "Odes e Poesias Diversas", com o qual ganhou uma pensão, concedida por Luís XVIII. Ele também foi um grande crítico político, deixando notáveis ensaios nesta área.

    Os seus livros mais conhecidos são "O Corcunda de Notre-Dame" (1831) e "Os Miseráveis" (1862). Ambos apresentam fortes críticas à sociedade francesa da época e foram adaptados inúmeras vezes. Destacam-se a animação da Disney "O Corcunda de Notre Dame" (1996); o filme "Os Miseráveis" (2012), estrelando Hugh Jackman e Helena Bonham Carter; e a minissérie francesa "Os Miseráveis" (2000) com Gérard Depardieu e Charlotte Gainsbourg.

  • A ilha do tesouro Nouv.

    Um velho marinheiro se instala na estalagem dos pais de Jim Hawkins. Ele parece estar escondendo alguma coisa... Quando os piratas atacam a pousada, Jim foge e leva consigo o que o capitão estava escondendo: um mapa do tesouro! É assim que a aventura do jovem Jim começa em uma jornada cheia de surpresas.

    A história de Jim inspirou o filme brasileiro "O Trapalhão na Ilha do Tesouro" (1974), estrelando Renato Aragão e Dedé Santana.

    Este audiolivro é narrado em português brasileiro.



    Robert Louis Stevenson (1850-1894) é um escritor escocês e um viajante frequente. É dessas viagens que ele se inspira para escrever suas obras cheias de aventura e histórias fantásticas. Com uma narrativa bastante visual, ele consegue expressar uma crítica aos hábitos da sociedade de seu tempo. Seus romances mais famosos são fonte de inspiração para diferentes mídias, como o filme de animação da Disney "Planeta do Tesouro" (2002) e o emblemático "O Médico e o Monstro", produzido em 1931.

  • Mowgli é abandonado na selva quando nasce. Coletado por um bando de lobos, ele aprende a viver lá, conhecendo os perigos da selva e seus inimigos, especialmente o tigre Shere Kan, que quer a sua pele. Um dia, ele descobre que não é o único Homem... Ele deve tomar uma decisão difícil: permanecer num ambiente familiar, com aqueles que o viram crescer ou ir viver com aqueles que se parecem com ele?

    As aventuras de Mowgli foram adaptadas em filme diversas vezes. Sem esquecer a animação clássica da Disney de 1967, os estúdios Warner Bros produziram o filme "Mowgli: Entre Dois Mundos" em 2018.



    Nascido em Bombaim, Rudyard Kipling (1865-1936) foi enviado para um internato na Inglaterra aos 6 anos de idade. Sentindo-se muito infeliz nesse país, voltou para a Índia em 1882, onde começou a escrever. Em 1907, ele recebe o Prêmio Nobel de Literatura, tornando-se o primeiro autor em língua inglesa a recebê-lo. Kipling produziu vários relatos da vida inglesa na Índia, mas foi com seu romance "The Jungle Book" que ele ganhou notoriedade. Esta obra foi adaptada ao cinema várias vezes, destacando-se o filme de animação dos estúdios da Disney "Mogli - O Menino Lobo" em 1967 e seu remake em 2016.

  • Desde o seu nascimento, Caninos Brancos aprende as leis de sua matilha: comer ou ser comido. Em sua luta pela sobrevivência, o cão-lobo é confrontado com a violência do mundo dos homens... Será que o homem é mesmo tão diferente dos outros animais?

    Contada do ponto de vista do animal, essa história nos faz pensar no lado selvagem do homem e em sua relação com a natureza. Este romance foi adaptado várias vezes para o cinema, destacando-se o filme homônimo de animação dirigido por Alexandre Espigares em 2018 e no filme americano produzido em 1991 por Randal Kleiser com Ethan Hawke. Essa história também inspirou a história em quadrinhos brasileira "Caninos Brancos" (1992).



    Jack London (1876-1916), escritor americano, nasceu como John Griffith Chaney. Desde muito jovem, ele trabalhou em muitas profissões, como carpinteiro e agricultor, o que o fez sonhar com a liberdade e aventuras. Aos 17 anos, embarcou como marinheiro em uma jornada que o levou para a costa do Japão e o inspirou a escrever sua primeira história. De volta à América do Norte, ele não encontrou emprego permanente e foi preso por vadiagem. Mais tarde, sua participação na corrida do ouro de Klondike, sua volta ao mundo inacabada e suas outras experiências pessoais continuaram alimentando sua inspiração. Ele adquiriu riqueza e fama com suas obras literárias antes de morrer aos 40 anos.

    Seu famoso romance "O Grito da Selva" foi adaptado para cinema em 1935 no filme homônimo estrelando Clark Gable e em 2020 no filme "O Chamado da Floresta" com Harrison Ford e Dan Stevens.

  • O Lobo-do-mar

    Jack London

    O jovem Humphrey van Weyden é salvo de um náufrago pela escuna Ghost. Porém, ele logo compreende que seu pesadelo está apenas começando: o capitão Wolf Larsen o obriga a integrar a tripulação de seu navio! A bordo, ele vivencia a árdua rotina dos marujos e a tirania imposta pelo capitão.

    Através desse romance presencia-se o embate entre o mundo primitivo da tripulação e a civilidade do jovem refém. Essa obra foi adaptada inúmeras vezes para o cinema, destacando-se o filme "O Lobo do Mar" (1913), que conta com a atuação do próprio escritor Jack London, e a minissérie homônima produzida em 2009.



    Jack London (1876-1916), escritor americano, nasceu como John Griffith Chaney. Desde muito jovem, ele trabalhou em muitas profissões, como carpinteiro e agricultor, o que o fez sonhar com a liberdade e aventuras. Aos 17 anos, embarcou como marinheiro em uma jornada que o levou para a costa do Japão e o inspirou a escrever sua primeira história. De volta à América do Norte, ele não encontrou emprego permanente e foi preso por vadiagem. Mais tarde, sua participação na corrida do ouro de Klondike, sua volta ao mundo inacabada e suas outras experiências pessoais continuaram alimentando sua inspiração. Ele adquiriu riqueza e fama com suas obras literárias antes de morrer aos 40 anos.

    Seu famoso romance "O Grito da Selva" foi adaptado para cinema em 1935 no filme homônimo estrelando Clark Gable e em 2020 no filme "O Chamado da Floresta" com Harrison Ford e Dan Stevens.

  • Buck é um cão doméstico que, apesar de pequeno, domina a fazenda onde mora. Após ser vendido a um estranho, Buck emigra para a paisagem gélida do Ártico, onde encontra lobos perigosos e a solidão. Através de suas aventuras no Alasca, esse São Bernardo recupera o seu grito selvagem e liberta os seus instintos primitivos.

    Com essa obra, Jack London examina o embate entre o impulso selvagem e o controle civilizado. Ela foi adaptada para cinema em 1935 no filme "O Grito da Selva", estrelando Clark Gable, e em 2020 no filme "O Chamado da Floresta" com Harrison Ford e Dan Stevens.

    Este audiolivro é narrado em português brasileiro.



    Jack London (1876-1916), escritor americano, nasceu como John Griffith Chaney. Desde muito jovem, ele trabalhou em muitas profissões, como carpinteiro e agricultor, o que o fez sonhar com a liberdade e aventuras. Aos 17 anos, embarcou como marinheiro em uma jornada que o levou para a costa do Japão e o inspirou a escrever sua primeira história. De volta à América do Norte, ele não encontrou emprego permanente e foi preso por vadiagem. Mais tarde, sua participação na corrida do ouro de Klondike, sua volta ao mundo inacabada e suas outras experiências pessoais continuaram alimentando sua inspiração. Ele adquiriu riqueza e fama com suas obras literárias antes de morrer aos 40 anos.

    Com diversas obras icônicas, seu famoso livro "O Lobo do Mar" foi adaptado inúmeras vezes para o cinema, destacando-se o filme homônimo produzido em 1913, que conta com a atuação do próprio escritor Jack London, e a minissérie homônima produzida em 2009.

empty